Tratamento complementar eficaz na luta contra o cancro.

  • O que é a Hipertermia?
    A Hipertermia é o aumento da temperatura acima do nível fisiológico com o objectivo de atingir uma melhor terapêutica. A Hipertermia esta definida como o aumento da temperatura a um alcance entre 39ºC e 45ºC . O objectivo da Hipertermia local Celsius 42 é alcançar uma dose térmica óptima no tumor, seja superficial ou profundo, sem exceder os limites de tolerância dos tecidos normais circundantes. A Hipertermia local é aplicada de forma externa e não evasiva pelo meio de 2 eléctrodos activos os quais emitem uma energia electromagnética dirigida ao local de tratamento.

  • Patologias
    O Equipamento Celsius TCS Hipertermia Local (HT) pode utilizar-se isoladamente ou em combinação com a Quimioterapia (QT) e/ou Radioterapia (RT) com a finalidade de conseguir um tratamento mais efectivo em pessoas com Cancro, seja em etapas iniciais ou avançadas da doença. O uso do equipamento está indicado para qualquer tipo de tumor sólido, particularmente:
    • Colo do útero
    • Cérebro
    • Cabeça e pescoço
    • Pulmão
    • Melanoma
    • Mama
    • Bexiga
    • Recto
    • Esófago
    • Zona pélvica

  • Tecnologia
    • Seletividade
      Uma diferença importante entre células saudáveis e células cancerígenas é a sua carga eléctrica: a célula saudável tem por dentro uma carga positiva e no exterior carga negativa; a célula cancerígena tem por dentro uma carga negativa e no exterior carga positiva, ou seja, tem uma carga eléctrica inversa a célula saudável.
      A carga eléctrica define a voltagem da célula. A Voltagem numa célula saudável pode ser até +70mV e numa célula cancerígena ate -30mV. A distribuição dos iões (NA, H, K, Ca, e CI) também dependem da carga eléctrica de cada célula.
      A composição dos fluidos extra celulares (FEC) diferem um do outro. Cada fluido extracelular reage de forma específica a estímulos externos, entre eles a absorção de frequências. O fluido extracelular, ao redor da célula saudável absorve principalmente frequências de 100MHz. Por outro lado, o fluido extracelular das células cancerígenas absorve frequências entre 10 e 15 MHz.
      Resumindo, se a frequência (13,56MHz do equipamento Celsius TCS) é transmitida dentro do corpo entre os 2 eléctrodos quando aplicados, isto terá como resultado um efeito seletivo sobre o fluido extracelular das células cancerígenas. O fluido extracelular ao redor das células cancerígenas entrará em oscilação com ressonância de 13.56MHz (13.56 milhões de ciclos por segundo).
      Esta alta frequência de oscilação provoca um aquecimento seletivo do tumor no seu espaço extracelular (EEC) . O calor criado é transferido através do EEC, ligando os iões e chega até ao espaço intra celular (EIC). A diferença de temperatura entre o exterior e o interior da célula afecta o metabolismo e bloqueia-o, desnaturalizando as proteínas nas células cancerígenas. Ao mesmo tempo efeitos electro-osmóticos incrementam a pressão da água no citoplasma o que destabiliza a membrana celular.
    • Efeito do campo electromagnético
      As células cancerígenas têm uma resistência eléctrica menor, uma maior constante dieléctrica e uma polarização negativa mais alta. O Equipamento Celsius TCS cria um campo eléctrico alto e homogéneo entre os eléctrodos quando aplicados. Devido a baixa resistência eléctrica do Tumor, a corrente eléctrica flui intensamente através da sua membrana celular causando assim uma desestabilização da mesma.
    • Trocas capilares
      O calor transferido ao tecido do Tumor também afecta parcialmente o tecido saudável adjacente. Um tecido saudável pode dissipar o calor facilmente incrementando a circulação sanguínea, uma propriedade que não possui o tecido do Tumor devido a sua incapacidade de regulação térmica pela falta de capa muscular nos seus vasos sanguíneos. Este calor “provocado” reforça por sua vez o efeito selectivo da Hipertermia e conduz a desnutrição e falta de oxigénio nas células tumorais resultando na interferência de importantes processos metabólicos da divisão celular.

  • Contra-indicações
    A Hipertermia com Celsius TCS está contra indicada em:
    • Pacientes com transplantes de médula óssea
    • Pessoas com bypass coronário e seus eléctrodos
    • Pessoas com próteses metálicas colocadas na proximidade da área de tratamento do tumor

  • Referência na aplicação da Hipertermia
    Dr. António Moreira Pinto, Especialista em Oncologia Médica, responsável pelo tratamento de Hipertermia na CUF Porto Hospital com Equipamento Celsius 42+.

  • Bibliografia
    1 M.R. Horsman, J. Overgaard. Hyperthermia: a Potent Enhancer of Radiotherapy. Department of Experimental Clinical Oncology, Aarhus University Hospital, Aarhus, Denmark. Clinical Oncology (2007) 19: 418-426.
    2 J. Van der Zee, Z. Vujascovic, M. Kondo & T. Sugahara. The Kadota Fund International Forum 2004 – Clinical group consensus. International Journal of Hyperthermia, Marzo 2008; 24 (2): 111-122
    3 International Collaborative Hyperthermia Group: Vernon CC, Hand JW, Field SB, Machin D, Whaley JB, Van der Zee J, Van Putten WLJ, Van Rhoon GC, Van Dijk JDP, Gonza´lez Gonza´lez D, et al. Radiotherapy with or without hyperthermia in the treatment of superficial localized breast cancer: Results from five randomized controlled trials. Int J Radiat Oncol Biol Phys 1996;35:731–744.
    4 Jacoba van der Zee, Dionisio González, Gerard C van Rhoon, Jan D P van Dijk, Wim L J van Putten, Augustinus A M Hart, for the Dutch Hyperthermia Group. Comparison of radiotherapy alone with radiotherapy plus hyperthermia in locally advanced pelvic tumours: a prospective, randomised, multicentre trial. The Lancet, Vol 355, April 2000.
    5 Franckena M, Stalpers L.J.A., Koper P.C.M. Wiggenraad R.G.J. Hoogenraad W.J. Van der Zee J., et.al. Long term improvement in treatment outcome after radiotherapy and hyperthermia in locoregionally advanced cervix cancer: an update of the Dutch Deep Hyperthermia Trial. Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys. 70, 4, 1176 - 1182. 2008.
    6 Overgaard J, Gonzalez Gonzalez D, Hulshof MC, Arcangeli G, Dahl O, Mella O, Bentzen SM.: Int Hyperthermia as an adjuvant to radiation therapy of recurrent or metastatic malignant melanoma. A multicentre randomized trial by the European Society for Hyperthermic Oncology., J Hyperthermia 1996 Jan;12(1):3-20
    7 Issels R, Lindner L, Mella O, Kuhlencordt M, Hohenberger P, Abdel-Rahman S, et al.: Risk of early progression in patients with high-risk tissue sarcomas: Results of the Phase III randomized prospective trial of neoadjuvant chemotherapy with or without regional Hyperthermia (EORTC - ESHO Intergroup Trial)